Credenciamento e Recredenciamento Docente

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E/OU CREDENCIAMENTO E RECREDENCIAMENTO DE DOCENTES ALINHADOS COM AS ATIVIDADES DO PROGRAMA APROVADO PELA IES.

A cada dois anos, o PPG-AU abre chamadas para Editais de Recredenciamento e de Credenciamento de professores – seguindo os parâmetros exigidos pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação da UFBA – visando a renovação do seu quadro docente.

Com ampla divulgação – através de publicações no site, em redes sociais, por meio do envio de mailings pelo programa e pela IES –, o recredenciamento é direcionado aos docentes que estão atuando no programa como professores permanentes ou colaboradores. Já a chamada de credenciamento está voltada a professores, pesquisadores e profissionais de arquitetura e urbanismo e áreas afins, interessados em compor o quadro docente do PPG-AU, e com vínculos claros com uma ou mais Áreas de Concentração e Linha de Pesquisa do Programa.

Os candidatos precisam demonstrar que a sua trajetória acadêmica é sólida e pertinente às Áreas de Concentração e Linhas de Pesquisa do programa, para que possam continuar atuando (no caso de recredenciamento), ou que venham a atuar (no caso de credenciamento), junto aos cursos de mestrado e doutorado acadêmicos, no ensino, em orientações de trabalhos de conclusão, em pesquisa, extensão, e em produções acadêmicas e científicas de qualidade. Para os candidatos que pleiteiam o credenciamento, o seu histórico profissional deve apontar para a continuidade de uma já significativa rotina de pesquisa e de produção científica, assim como atestar que estarão dispostos a contribuir administrativamente com o PPG-AU.    

 

PERFIL GERAL DAS CATEGORIAS QUE INTEGRAM O QUADRO DOCENTE DO PPG-AU FAUFBA

 

PROFESSOR PERMANENTE

Professor com vínculo funcional com a UFBA (inclusive docentes aposentados, através do Programa Especial de Participação de Professores Aposentados – PROPAP UFBA).

O que se espera de um Professor Permanente do PPG-AU:

  1. Participação em atividades de ensino, coordenando e ministrando pelo menos uma disciplina por ano.
  1. Orientação de discentes do Mestrado e/ou do Doutorado Acadêmicos.
  1. Participação ativa nas Áreas de Concentração e Linhas de Pesquisa do programa, preferencialmente a partir de sua inserção em um dos 15 Grupos de Pesquisa cadastrados no CNPQ, vinculados às linhas do PPG-AU (seja como seu coordenador ou como pesquisador).
  1. Participação direta na administração do programa, seja no exercício de sua coordenação geral, bem como na sua representação (colegiado) – ou na coordenação de Núcleos, Laboratórios e Linhas de Pesquisa; ou contribuindo com a composição de grupos de trabalho, comissões permanentes ou transitória; apoiando os afazeres burocráticos do programa.  
  1. Apresentar alta produtividade acadêmica e científica, através da produção rotineira de artigos em periódicos qualificados; livros e capítulos; artigos em eventos; apresentação de palestras, conferências e comunicações em eventos científicos, nacionais e internacionais; organização de seminários, congressos, simpósios, encontros; produção técnica, tecnológica, artística e cultural de qualidade.
  1. Ser coordenador de Projeto de Pesquisa, com vínculo claro com as Áreas de Concentração e Linhas de Pesquisa do Programa – preferencialmente com financiamento, e com colaboração de discentes e de egressos; e/ou participar de convênios, intercâmbios, redes de pesquisa nacionais ou internacionais.

 

PROFESSOR COLABORADOR

Professor com vínculo funcional com a UFBA (inclusive aposentado, através do Programa Especial de participação de Professores Aposentados – PROPAP/UFBA); ou com outra Instituição de Ensino Superior reconhecida pelo Ministério da Educação; ou pesquisador com vínculo com instituições públicas de pesquisa.

O que se espera de um Professor Colaborador do PPG-AU:

  1. Eventual a orientação de discentes do Mestrado e do Doutorado acadêmicos.
  1. Realização de atividade de pesquisa e ensino no Programa.
  1. Eventual colaboração com a administração do programa, através da participação em grupos de trabalho, comissões, etc.
  1. Mínima produção acadêmica.

 

DIMENSIONAMENTO DO CORPO DOCENTE DO PROGRAMA:

O dimensionamento máximo do quadro de Professores Permanentes e Colaboradores do programa é estabelecido por indicação do colegiado do PPG-AU, considerando o tamanho médio do corpo discente do programa (Mestrado e Doutorado) no último biênio (entre outros fatores sazonais) – decisão que é repassada às Comissões de recredenciamento e de credenciamento docente.

O percentual entre docentes permanentes e colaboradores na dinâmica do programa precisa respeitar os parâmetros indicados pela Área de Arquitetura Urbanismo e Design da CAPES, bem como atender às outras exigências da área referentes à composição docente nos programas. 

 

 

SOBRE OS EDITAIS:

Para se renovar o corpo docente, são abertos dois editais diferentes, cujos processos de avaliação acontecem em sequência – o de recredenciamento e o de credenciamento Docente.

Seguindo o Regulamento Interno do programa, cabe à coordenação do PPG-AU, após a aprovação do colegiado, convocar as Comissões para recredenciamento e para credenciamento docente – que podem ser a mesma. A Comissão de Avaliação é composta por três professores seniores de outros programas de pós-graduação (da UFBA ou de outras IES). O coordenador do programa também participa como o seu presidente.

 

TEOR DO EDITAL DE RECREDENCIAMENTO DOCENTE

A avaliação das candidaturas pode alcançar três resultados distintos:

  1. Confirmar o docente na categoria que ele já ocupa – de professor permanente ou colaborador.
  1. Alterar a categoria do docente – de colaborador para permanente, ou vice-versa.
  1. Descredenciar o professor – por ele não ter se candidatado, ou por não alcançar os requisitos mínimos para sua continuidade no programa, como docente permanente ou colaborador.

 

REQUISITOS PARA RECREDENCIAMENTO AO QUADRO DE PROFESSORES PERMANENTES:

  1. Ser professor permanente ou colaborador do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da UFBA.
  1. Apresentar plano de trabalho para os próximos dois anos descrevendo as atividades de ensino, orientação, pesquisa, produção científica, administração – relacionando as atividades propostas à(s) Área(s) de Concentração e Linha(s) atrelada(s) ao docente. 

 

CRITÉRIOS MÍNIMOS PARA O RECREDENCIAMENTO COMO PROFESSOR PERMANENTE

  1. Ter ministrado aulas no programa regularmente – pelo menos uma disciplina por ano em que o professor esteve vinculado ao PPG-AU (contando os últimos 4 anos). 
  1. Ter ao menos uma orientação concluída, ou três em curso, no programa.
  1. Nos últimos 4 anos, ter sido coordenador ou vice-coordenadror; ou ter participado em pelo menos uma comissão de apoio à coordenação do programa; e/ou ter participado de órgão de representação e/ou cargos junto ao poder público (diretoria, conselhos, etc) externo à instituição; e/ou ser Bolsista de Produtividade do CNPQ.
  1. Apresentar, nos últimos quatro, pelo menos 4 produções científicas – vinculadas à(s) Linha(s) de Pesquisa atrelada(s) ao docente – numa das seguintes modalidades: artigo em periódico, livro, capítulo ou organização de livro.
  1. Ter sido coordenador, nos últimos 4 anos, de Projeto(s) de Pesquisa, relacionado(s) diretamente com a(s) Área(s) de Concentração e Linha(s) de Pesquisa atrelada(s) ao docente – preferencialmente com financiamento e com colaboração de discentes e de egressos; e/ou participar de convênios, intercâmbios, redes de pesquisa nacionais ou internacionais.
  1. Ter participado, nos últimos 4 anos, de pelo menos 4 das seguintes atividades (podem ser repetidas): convites para palestras, mesas redondas e afins; trabalhos técnicos que envolvam produção de conhecimento e inserção social junto à iniciativa privada e ao poder público; atividades editoriais; membros de conselhos editoriais; editoria de periódicos; revisão técnica de livro; tradução; curadoria de exposições; coordenação ou participação em comissão organizadora de eventos científicos; trabalhos técnicos de alta qualidade; membro de comitê científico de eventos; parecerista “Ad Hoc” de periódico e/ou instituição de fomento – sempre com vínculos diretos com a(s) Áreas de Concentração e Linha(s) de Pesquisa atrelada(s) ao docente.

 

REQUISITOS PARA RECREDENCIAMENTO AO QUADRO DE PROFESSORES COLABORADORES:

  1. Ser professor permanente ou colaborador do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da UFBA.
  1. Apresentar plano de trabalho para os próximos dois anos descrevendo as atividades de ensino, orientação, pesquisa, produção científica, administração – relacionando as atividades à(s) Área(s) de Concentração e Linha(s) atrelada(s) ao docente. 

 

CRITÉRIOS MÍNIMOS PARA O RECREDENCIAMENTO COMO PROFESSOR COLABORADOR

  1. Ter ministrado aulas no programa – pelo menos uma disciplina nos últimos 4 anos. 
  1. Ter ao menos uma orientação em curso no programa.
  1. Apresentar, nos últimos quatro anos, pelo menos 2 produções científicas – vinculadas à(s) Linha(s) de Pesquisa que o professor possui vínculo – numa das seguintes modalidades: artigo em periódico, livro, capítulo ou organização de livro.  
  1. Ter participado, nos últimos 4 anos, de Projeto de Pesquisa, com vínculo claro com as Áreas de Concentração e Linhas de Pesquisa do Programa – preferencialmente com financiamento e com colaboração de discentes e de egressos; e/ou participar de convênios, intercâmbios, redes de pesquisa nacionais ou internacionais.

 

TEOR DO EDITAL DE CREDENCIAMENTO DOCENTE

 

REQUISITOS PARA CREDENCIAMENTO AO QUADRO DE PROFESSORES PERMANENTES:

  1. Ser professor e pesquisador do quadro da UFBA – inclusive aqueles enquadrados no Programa Especial de Participação de Professores Aposentados (PROPAP/UFBA).
  1. Ter o título de Doutor em Arquitetura e Urbanismo ou áreas afins há, pelo menos, 2 anos.
  1. Apresentar plano de trabalho para os próximos dois anos, descrevendo as atividades de ensino, orientação, pesquisa, produção científica, administração – relacionando as atividades à(s) Área(s) de Concentração e Linha(s) atrelada(s) que pretende se filiar. 

 

CRITÉRIOS MÍNIMOS PARA O CREDENCIAMENTO COMO PROFESSOR PERMANENTE

  1. Ter ao menos uma orientação, ou coorientação, concluída em Instituição de Ensino Superior reconhecida pelo Ministério de Educação numa das seguintes modalidades: Mestrado ou Doutorado, da modalidade Acadêmica ou Profissional; ou ter ao menos, três orientações de pesquisa concluídas em Instituição de Ensino Superior reconhecida pelo Ministério de Educação numa das seguintes modalidades: Iniciação Científica, ou Programa de Iniciação à Pesquisa.
  1. Apresentar, nos últimos quatro, pelo menos 4 produções científicas – vinculadas às Linhas de Pesquisa do programa – numa das seguintes modalidades: artigo, livro, capítulo ou organização de livro.
  1. Ter participado, nos últimos 4 anos, de pelo menos 4 das seguintes atividades (podem ser repetidas): convites para palestras, mesas redondas e afins; trabalhos técnicos que envolvam produção de conhecimento e inserção social junto à iniciativa privada e ao poder público; atividades editoriais; membros de conselhos editoriais; editoria de periódicos; revisão técnica de livro; tradução; curadoria de exposições; coordenação ou participação em comissão organizadora de eventos científicos; trabalhos técnicos de alta qualidade; membro de comitê científico de eventos; parecerista “Ad Hoc” de periódico e/ou instituição de fomento – sempre com vínculos diretos com as Áreas de Concentração e Linhas de Pesquisa do programa.

 

REQUISITOS PARA CREDENCIAMENTO AO QUADRO DE PROFESSORES COLABORADORES:

  1. Ser professor e pesquisador do quadro da UFBA – inclusive aqueles enquadrados no Programa Especial de Participação de Professores Aposentados (PROPAP/UFBA); ou de outra Instituição de Ensino Superior reconhecida pelo Ministério de Educação; ou ser pesquisador com vínculo com instituições públicas de pesquisa com histórico de colaboração com o programa;
  1. Ter o título de Doutor em Arquitetura e Urbanismo ou áreas afins há, pelo menos, 1 ano.

3.   Apresentar plano de trabalho para os próximos dois anos descrevendo as atividades de ensino, orientação, pesquisa e/ou extensão, produção científica – relacionando as atividades à(s) Área(s) de Concentração e Linha(s) atrelada(s) que pretende se filiar. 

 

CRITÉRIOS MÍNIMOS PARA O CREDENCIAMENTO COMO PROFESSOR COLABORADOR

  1. Ter, ao menos, uma orientação de pesquisa concluída em Instituição de Ensino Superior reconhecida pelo Ministério de Educação numa das seguintes modalidades: orientação ou coorientação de Especialização; ou Mestrado ou Doutorado, da modalidade Acadêmica ou Profissional; ou ter histórico de coordenação de pesquisa em instituição pública. No caso de pesquisas de Iniciação Científica ou Programa de Iniciação à Pesquisa, são requeridas ao menos 2 (duas) orientações concluídas.
  1. Apresentar, nos últimos quatro, pelo menos 2 produções científicas – vinculadas às Linhas de Pesquisa do Programa – numa das seguintes modalidades: artigo, livro, capítulo de livro ou organização de livro.
  1. Ter participado, nos últimos 4 anos, de Projeto de Pesquisa, com vínculo claro com as Áreas de Concentração e Linhas de Pesquisa do Programa – preferencialmente com financiamento e com colaboração de discentes e de egressos; e/ou participar de convênios, intercâmbios, redes de pesquisa nacionais ou internacionais.

 

HOMOLOGAÇÃO DO COLEGIADO

Após finalizados os processos de recredenciamento e credenciamento docente, o coordenador apresenta os resultados ao colegiado do programa (com a nova composição do corpo docente previamente definida).

O colegiado pode homologar os resultados ou propor algumas alterações pontuais que, após serem discutidas, são colocadas em votação.

A homologação final do colegiado confirma o novo corpo docente do programa.

 

CASOS EXCEPCIONAIS DE CREDENCIAMENTO E ALTERAÇÃO DE CATEGORIA DE PROFESSORES FORA DOS EDITAIS

O Regulamento Interno do PPG-AU prevê, em casos excepcionais, que docentes possam ser incorporados, fora das chamadas dos editais de credenciamento, nos quadros de professores permanentes ou colaboradores do programa.

São situações em que o próximo processo credenciamento está distante, mas surge a oportunidade especial de inclusão de um docente-pesquisador emérito no quadro do programa.

Um novo professor também pode ser incorporado no quadro por uma necessidade especial do programa, como por exemplo, aumentar o número de professores permanentes ou colaboradores.

Para isso, o pleiteante deve apresentar um projeto de atuação no programa pelos próximos dois anos, junto com o seu currículo. A proposta e o currículo são analisados pelo colegiado, que aprova ou recusa a inclusão do novo professor.  

Da mesma forma, e por motivos diversos, o colegiado pode aprovar – também em caráter excepcional – a alteração da categoria de docentes, ou mesmo o descredenciamento de professores.   

 

SOBRE AS PRÓXIMAS CHAMADAS DE RECREDENCIAMENTO E CREDENCIAMENTO DOCENTE E O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO PROGRAMA

Estava previsto novo processo de recredenciamento e credenciamento docente para julho de 2020. Contudo, o colegiado do programa aprovou adiar o processo para início de 2021.

Esta iniciativa, apontada no Planejamento Estratégico do programa, visou dar mais coerência com a dinâmica do quadriênio – reordenando as renovações do corpo docente para o início e para a metade do período da avaliação (lembrando que o processo acontece a cada dois anos).

Deste modo, o programa iniciará o quadriênio com o quadro docente renovado, e fará novo recredenciamento e credenciamento docente exatamente na metade do ciclo – o que é excelente para a auto avaliação do programa.