Perfil e Acompanhamento dos Egressos

 
O PPG-AU/UFBA visa ao enriquecimento da formação acadêmica e técnica de profissionais de arquitetura, urbanismo e áreas afins, com vistas ao aperfeiçoamento de quadros, principalmente, para o magistério superior, mas também para a administração pública, notadamente, nos campos do Planejamento Urbano e Regional, do Urbanismo, da Política Urbana e Habitacional e da Preservação do Patrimônio Arquitetônico, Urbano e Paisagístico. Além de prover uma formação de excelência nesses campos de atuação, o PPG-AU/UFBA busca formar pessoas comprometidas com o bem comum e com o atendimento de demandas da sociedade, em especial, de seus segmentos mais vulneráveis.4
 
A despeito de uma concentração natural nas áreas de arquitetura e urbanismo, o perfil interdisciplinar do programa tem se refletido positivamente na formação de profissionais oriundos de vários campos atuação afins como Engenharia, Direito, Ciências Sociais, Artes Plásticas e Visuais, Geografia, Educação e História. 
 
A procedência dos egressos indica uma forte polarização na Bahia e no Nordeste, mas também uma forte atração de estudantes da região Sudeste. Sobressaem também, dentre os egressos do PPG-AU, profissionais oriundos da América Latina e da Europa, continentes para onde a maioria desses egressos retorna.
 
No que toca à inserção profissional, o acompanhamento dos egressos demonstra que os objetivos do programa vêm sendo atingidos, com uma ampla maioria vinculada ao magistério superior, especialmente no que toca aos egressos do doutorado. A meta de prover quadros bem formados para o serviço público nas áreas de atuação do programa também vem sendo atingida, com um número significativo de egressos, especialmente do curso de mestrado acadêmico, inseridos em organismos públicos ligados ao planejamento urbano e à preservação do patrimônio.

Acompanhamento de Egressos:

Dos 52 egressos do curso de Doutorado de 2013 a 2016, foi possível obter informação em 2017 para cerca de 50%. Dentre estes, 90% estão inseridos no magistério superior em instituições públicas ou privadas de ensino superior. Uma pequena parcela deste total, cerca de 3,5%, estão vinculados a programas de pós-doutorado em instituições públicas de ensino ou atuam como pesquisadores associados a programas de pós-graduação. Assim, em 2017, foi mantida a tendência histórica de absorção da quase totalidade dos egressos do curso de doutorado no magistério superior com exclusividade. Essa inserção maciça na vida acadêmica é o que mantém esses egressos com uma expressiva participação em projetos de pesquisa e extensão, bem como com uma produção bibliográfica significativa.
 
Os egressos do curso de Mestrado Acadêmico somaram 60 entre 2013 e 2016. Desse total, em 2017, foi possível obter informações sobre 55% desses egressos. Embora a inserção profissional dos egressos do mestrado, além de historicamente mais diversificada do que a dos egressos do doutorado, se caracterize pela não exclusividade, as informações obtidas mostram um crescimento do número desses egressos no magistério superior, com cerca de 24% atuando exclusivamente nesta atividade.
 
Verificou-se também, em 2017, uma tendência distinta das verificadas em outros anos: o recuo na inserção profissional de egressos do mestrado no serviço público, com 6% vinculados a este tipo de atividade profissional. Contrariamente, a tendência de continuação da formação acadêmica por meio da inserção em cursos de doutorado, manteve-se alta, com 17% dos egressos do mestrado nesta situação.
 
A tendência acima apontada de maior inserção de mestres formados pelo PPG-AU/UFBA no magistério superior ou em cursos de Doutorado explica, em 2017, a manutenção de uma produção bibliográfica expressiva no que toca a esses egressos, bem como sua expressiva participação em projetos de pesquisa e extensão.
 
Em 2017, portanto, 112 os egressos do programa do período entre 2013 e 2016, a despeito da permanente dificuldade para se obter dados completos e atualizados sobre esse conjunto, apresentaram uma situação de inserção profissional que atesta que os resultados do programa em termos de nucleação e inserção profissional permanecem significativos.
 
No que toca ao Mestrado Profissional, 61% dos egressos estão trabalhando em instituições públicas e organizações privadas ligadas à proteção, à conservação e à restauração do patrimônio cultural edificado e urbano. Além desses, aproximadamente 39% dos egressos desse curso vêm atuando como professores do ensino superior em disciplinas que tratam da temática da salvaguarda, conservação e restauração do patrimônio edificado e urbano, do projeto de arquitetura e urbanismo e da história da arquitetura e do urbanismo, que constituem áreas de interesse do MP-CECRE.
 
Quanto aos egressos da Residência em Arquitetura, Urbanismo e Engenharia, dos 45 especialistas concluintes das 1ª e 2ª edições, além da capacitação para aqueles que já eram gestores em órgãos públicos (11 egressos), registra-se uma aprovação em concurso público, e o ingresso em cursos de mestrado (05 egressos) e doutorado (01 egresso).
 
Destaca-se, sobretudo neste curso, como atividades de egressos, as iniciativas de vários ex-residentes para a continuidade dos projetos finais doados às comunidades e sua participação em propostas de financiamentos para execução de tais projetos em conjunto com as comunidades envolvidas.